• Qua. Nov 25th, 2020

Buraco negro no centro da Via Láctea pode ser mais lento do que se pensava

A descoberta de ondas de rádio que levou à confirmação da existência do Sagittarius A*, buraco negro massivo que se encontra no centro da Via Láctea, rendeu a Roger Penrose, Reinhard Genzel e Andrea Ghez o Nobel de Física em 2020. Porém, como a Ciência não para, poucos dias antes do anúncio, em 6 de outubro, uma dupla de pesquisadores divulgou algo novo a respeito do gigante: ele gira mais devagar do que se pensava e se move a apenas 10% da velocidade da luz.

Apesar de gigantescos, tais corpos celestes são relativamente simples, sendo compostos somente de massa, carga e rotação, já que tudo o que distingue a matéria se perde em suas singularidades. Para descobrirem a primeira característica do objeto em questão, cientistas observaram sua influência sobre estrelas S, que se encontram mais próximas dele e são aceleradas a velocidades incríveis quando suas órbitas se aproximam demais. Quanto à segunda, dizem que, a exemplo de grande parte dos maiores elementos do Universo, deve ser fraca. 

Leia mais…

CURSO HOTMART
ENVIAR