Carro invade calçada, mata 2 e deixa dezenas de feridos na Alemanha

Pelo menos duas pessoas morreram

Pelo menos duas pessoas morreram

Reprodução/Facebook CityRadio Trier 88.4

Um carro invadiu uma área de pedestres na cidade de Trier, na Alemanha, nesta terça-feira (1º) e deixou pelo menos dois mortos e 15 feridos, segundo o portal Sputnik.

Pelo Twitter, a polícia de Trier pediu que cidadãos evitem a área. 

“Dezenas de pessoas feridas depois de serem atingidas por um carro em uma zona de pedestres em Trier. Por favor, evite a área. A polícia está no local com outros serviços de emergência.”

A polícia ainda não conseguiu determinar se foi um acidente, o gesto de uma pessoa desequilibrada ou um possível ataque.

Pelo menos duas pessoas morreram e várias ficaram feridas nesta cidade da Renânia-Palatinado, no sudoeste da Alemanha, não muito longe da fronteira com Luxemburgo, informou a polícia no Twitter.

Quinze pessoas ficaram feridas, algumas “gravemente”, segundo o prefeito da cidade, Wolfram Leibe, referindo-se a um “motorista louco”.

Vídeos publicados nas redes sociais mostram a polícia prendendo o suspeito e como a área do atropelamento ficou após o caso. Confira:

Se a origem do incidente ainda não foi estabelecida, acontece em um contexto tenso na Alemanha. 

As autoridades estão em alerta em relação à ameaça islâmica que pesa sobre o país, principalmente desde um ataque com caminhão reivindicado pelo grupo Estado Islâmico que matou 12 pessoas em dezembro de 2016 em Berlim.

Este ataque jihadista foi o mais mortal já cometido em solo alemão.

Ameaças jihadista e da extrema direita

Desde 2009, as autoridades alemãs frustraram 17 tentativas de ataque, a maioria desde o atentado de 2016, de acordo com o Ministério do Interior.

Recentemente, um sírio de 20 anos matou um transeunte com uma faca numa rua em Dresden e feriu um segundo por motivações islamitas. Ele foi preso.

A polícia também desmantelou na primavera de 2020 na Renânia do Norte-Vestfália uma célula de supostos terroristas do Tadjiquistão ligados ao grupo Estado Islâmico, segundo o promotor antiterrorismo, Peter Frank, em 1º de novembro.

“A Alemanha e a Europa Ocidental ainda estão na mira dos islâmicos radicais”, alertou.

Desde 2013, o número de islâmicos considerados perigosos na Alemanha aumentou cinco vezes e atualmente é de 615, de acordo com o Ministério do Interior.

O número de salafistas é estimado em cerca de 11 mil, o dobro de 2013.

Em 2020, 320 novas investigações foram abertas na Alemanha envolvendo uma ameaça islâmica, um número em declínio que, no entanto, “nada diz sobre o perigo qualitativo”, de acordo com Peter Frank. 

Além do ataque com caminhão no mercado de Natal da capital, o EI assumiu a responsabilidade em 2016 por um assassinato a facadas em Hamburgo, um atentado a bomba em Ansbach que deixou 15 feridos e matou o agressor, bem como um ataque com machado em um trem na Baviera (5 feridos), cujo autor foi morto a tiros pela polícia.

A Alemanha também enfrenta o terrorismo de extrema direita, com vários tiroteios fatais nos últimos dois anos em Halle, no Yom Kippur, ou Hanau, em fevereiro, tendo como alvo bares shisha.

You may have missed

8 min read
2 min read
5 min read
5 min read