China suspende todos os voos entre o país e o Reino Unido

MInistro Wang Wenbin não dá data para retorno dos voos ao Reino Unido

MInistro Wang Wenbin não dá data para retorno dos voos ao Reino Unido
EFE / EPA / WU HONG / Arquivo

O governo chinês decidiu suspender todos os voos entre a China e o Reino Unido como medida preventiva dada a recente descoberta de uma mutação do coronavírus Sars-CoV-2 no país europeu, informou nesta quinta-feira (24) o ministro das Relações Exteriores do país, Wang Wenbin.

“A China tomou nota das práticas de outros países e suspendeu os voos entre a China e o Reino Unido”, disse Wang durante a coletiva diária à imprensa estrangeira.

A medida, destacou, foi adotada “levando em consideração a situação especial e as possíveis repercussões dessa variante do coronavírus, e com o objetivo de salvaguardar a saúde e o intercâmbio entre os povos da China e de outros países”.

O porta-voz não especificou prazo para retomada e destacou que sua secretaria vai acompanhar a situação e anunciar novos ajustes quando julgar conveniente.

A potência asiática segue assim as medidas adotadas por outros países, como Japão, Canadá ou Coreia do Sul.

Nesta manhã, a companhia aérea China Southern, uma das maiores do país, já tinha anunciado a suspensão das ligações aéreas com as ilhas britânicas.

Além disso, o fechamento da fronteira de Hong Kong com a antiga metrópole, o Reino Unido, também entra em vigor hoje pelos mesmos motivos, em um momento em que a quarta onda de infecções parece começar a diminuir na cidade semiautônoma.

Na China continental, o número total de infectados ativos é 315, dos quais 6 são graves.

Números divulgados hoje pela Comissão Nacional de Saúde da China mostram que, desde o início da pandemia, 4.634 pessoas morreram entre os 86.899 infectados oficialmente diagnosticados, enquanto 81.950 conseguiram sarar.

Hong Kong, por sua vez, registrou 8.354 infectados desde o início da pandemia, dos quais 133 morreram.

You may have missed

8 min read
2 min read
5 min read
5 min read