Cidade chinesa vai testar todos os 6 milhões de habitantes após 17 casos

China tem 320 casos ativos, dos quais cinco são graves

China tem 320 casos ativos, dos quais cinco são graves
Arquivo/EFE

A cidade de Dalian, no nordeste da China, começou a fazer testes para identificar a presença do coronavírus em seus mais de 6 milhões de residentes, depois que 17 casos foram detectados na semana passada. A vacinação foi informada nesta quarta-feira (23) pela Comissão Municipal de Saúde.

Os exames começaram esta terça-feira (22) ao meio-dia e vão durar três dias, informaram as autoridades sanitárias locais por meio de nota divulgada hoje. A vacinação em massa ocorre após a detecção de 5 casos confirmados e 12 assintomáticos, todos por infecção local, entre os dias 15 e 21 de dezembro.

A estes somam-se um caso confirmado e mais 8 assintomáticos devido ao contágio local anunciado nesta quarta-feira.

De acordo com a agência de notícias estatal China News Service, cerca de 1,5 milhão de residentes foram testados na terça-feira, sem encontrar um único caso positivo.

Em 16 de dezembro, as autoridades da cidade portuária de Dalian informaram que quatro trabalhadores, empregados na indústria de alimentos congelados, tiveram teste positivo para coronavírus.

As autoridades chinesas destacam que os alimentos congelados importados, principalmente as embalagens de carnes e peixes, são a principal via de surtos do vírus na China, uma vez que as infecções locais estavam praticamente controladas no país, que chegou a passar quase dois meses com o contador zerado.

Nesse sentido, a imprensa oficial já veiculou a narrativa de que o surto inicial da pandemia, registrado na cidade de Wuhan, centro-leste, poderia estar relacionado a esse tipo de importação.

As autoridades de saúde de Dalian pediram aos cidadãos que não saíssem da cidade a menos que fosse imprescindível e, nesse caso, que apresentassem um documento comprovando que a pessoa em questão obteve um resultado negativo em um teste de coronavírus dentro dos últimos 7 dias.

Também pedem aos moradores que sigam as regras básicas recomendadas nesses casos, como evitar aglomerações, lavar as mãos com frequência, usar máscara e evitar locais fechados.

Em julho passado, Dalian já sofreu um novo crescimento, que registrou dezenas de casos, embora nenhum dos afetados tenha morrido.

De acordo com dados publicados hoje pela Comissão Nacional de Saúde da China, existem atualmente 320 infectados ativos no país asiático, dos quais 5 são graves.

Até o momento, os números oficiais indicam que 4.634 pessoas morreram de covid-19 na China entre os 86.882 infectados diagnosticados desde o início da pandemia. Portanto, 81.928 conseguiram curar.

Os casos assintomáticos não entram na contagem total, uma vez que Pequim só contabiliza os casos como confirmados como resultado da manifestação dos sintomas.

You may have missed

8 min read
2 min read
5 min read
5 min read