Eleição dos EUA: Trump diz ao oficial eleitoral da Geórgia para ‘encontrar’ votos para anular a vitória de Biden

Trump se recusa a admitir a derrota dias antes que o Congresso formalize a vitória de Joe Biden

Trump se recusa a admitir a derrota dias antes que o Congresso formalize a vitória de Joe Biden
Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse ao principal funcionário eleitoral da Geórgia para “encontrar” votos suficientes para anular o resultado das eleições americanas.

“Eu só quero encontrar 11.780 votos”, disse Trump ao secretário de Estado republicano Brad Raffensperger em uma gravação divulgada pelo Washington Post.

Na ligação, é possível ouvir Raffensperger respondendo que os resultados da Geórgia estavam corretos.

Biden venceu a Geórgia ao lado de outros Estados indecisos, ganhando 306 votos do colégio eleitoral contra os 232 de Trump.

Desde a votação do dia 3 de novembro, Trump vem alegando fraude eleitoral generalizada sem fornecer qualquer prova.

No domingo, o presidente americano escreveu no Twitter que Raffensperger não deu detalhes da fraude. “Ele não tem ideia!”, Trump afirmou.

Todos os 50 estados certificaram o resultado da eleição, alguns após recontagens e recursos legais. Até agora, os tribunais dos EUA rejeitaram 60 contestações à vitória de Biden.

O Congresso deve aprovar formalmente o resultado da eleição no dia 6 de janeiro.

Biden, do Partido Democrata, deve tomar posse como presidente duas semanas após a ratificação, em 20 de janeiro.

Os eleitores na Geórgia devem votar novamente na terça-feira (5) para eleger dois senadores para o estado. O resultado pode determinar o equilíbrio de poder no Senado — se os dois candidatos democratas vencerem, haverá números iguais de senadores republicanos e democratas e a vice-presidente eleita democrata Kamala Harris terá o voto decisivo.

Os democratas de Biden já controlam a Câmara dos Representantes.

O que aconteceu durante a ligação?

Nos trechos divulgados pelo Washington Post, Trump pode ser ouvido bajulando e pressionando o secretário de Estado da Geórgia em diferentes momentos.

Ele insistiu que havia vencido as eleições na Geórgia e disse a Raffensperger que “não havia nada de errado em dizer que você recalculou”.

O Sr. Raffensperger respondeu dizendo: “O desafio que você tem, senhor presidente, é que os dados que você tem estão errados.”

Mais tarde, na mesma ligação, Trump disse que o boato era que as cédulas haviam sido destruídas e o mecanismo de votação removido do condado de Fulton — uma acusação que o advogado de Raffensperger disse ser infundada.

O presidente então ameaçou o oficial com possíveis consequências legais.

“Você sabe o que eles fizeram e não está denunciando. Isso é um crime. Você não pode permitir que isso aconteça. É um grande risco para você e para Ryan, seu advogado”, disse Trump.

Ele disse que Raffensperger deveria reexaminar o resultado no estado.

“Você pode reexaminar, mas reexaminá-lo com pessoas que querem encontrar respostas, não pessoas que não querem encontrar respostas”, disse ele.

“Senhor Presidente, o senhor tem pessoas que enviam informações e nós temos nosso pessoal que envia informações e então elas chegam ao tribunal e o tribunal tem que tomar uma decisão”, respondeu o Sr. Raffensperger. “Temos que defender nossos números, acreditamos que nossos números estão certos.”

You may have missed

2 min read
3 min read
1 min read
1 min read
CURSO HOTMART
ENVIAR