Mutação do coronavírus faz Reino Unido impor mais restrições

"Não tenho outra escolha", disse Boris Johnson

“Não tenho outra escolha”, disse Boris Johnson
Toby Melville -19.12.2020/Reuters

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou neste sábado (19) uma série de novas restrições que vão atingir Londres, o sudeste e o leste da Inglaterra. As regiões passarão neste domingo ao nível 4, o mais grave de risco de covid-19, com o fechamento de lojas não essenciais, devido ao aumento de casos do vírus.

“Eu sei como as pessoas estão entusiasmadas nesta época do ano… Eu sei como isso vai ser decepcionante”, disse Johnson. “Não tenho outra escolha”, disse em entrevista coletiva ao anunciar que as restrições também serão reforçadas durante o período de Natal, após a descoberta de uma nova mutação do novo coronavírus.

As autoridades dizem que já alertaram a OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre a descoberta da nova cepa, 70% mais transmissível, segundo cientistas, embora não haja evidências de que seja mais letal ou possa ter impacto na eficácia das vacinas já desenvolvidas contra covid-19.

Lojas que vendem itens não essenciais, academias, cinemas e cabeleireiros serão obrigados a fechar por um período de duas semanas, enquanto o encontro de pessoas que não morem juntas só será permitido ao ar livre.

Além disso, no Natal, quem mora nas regiões submetidas ao novo lockdown não poderá encontrar outras pessoas fora do convívio familiar.

O primeiro-ministro pediu às pessoas que moram nas outras regiões que permaneçam nos seus locais de residência e “avaliem cuidadosamente se há necessidade de viajar para o estrangeiro”. Aqueles que vivem em áreas com nível 4 não poderão viajar para o exterior, embora com “exceções limitadas”, como para trabalho.

O premiê pediu aos residentes do nível 4 que trabalhem em casa e modificou os planos para o período de Natal ao estabelecer que os que estão nos níveis 1, 2 e 3 de restrições – baixo, moderado e substancial – só poderão encontrar três pessoas que morem em casas diferentes no dia 25. Antes, as reuniões haviam sido autorizadas entre os dias 22 e 28 de dezembro.

O diretor médico da Inglaterra, Chris Whitty, disse no sábado que de acordo com relatórios, considera-se que “a nova cepa se espalha mais rapidamente”. “Alertamos a OMS e continuamos analisando os dados disponíveis para melhorar nossa compreensão do vírus”, acrescentou.

Diante dessa situação, “agora é mais vital do que nunca que a população tome medidas em sua área para reduzir a transmissão”, disse o diretor.

You may have missed

8 min read
2 min read
5 min read
5 min read