Netanyahu pede veto à entrada de estrangeiros em Israel

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu
MARC ISRAEL SELLEM / POOL

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, pediu ao gabinete de governo – que realizou uma reunião de emergência nesta segunda-feira (21) – o fechamento do país para os estrangeiros, de modo a evitar a propagação da nova mutação do coronavírus causador da covid-19, identificada no Reino Unido.

Criadores da Sputnik e AstraZeneca passam a cooperar por nova vacina

Os israelenses que voltarem do Reino Unido deverão ficar em hotéis geridos pelo Estado para que cumpram duas semanas de quarentena, e não em casa.

“Pedi a convocação do gabinete com um propósito: fechar os céus. Desde a reunião da noite passada, a mutação se propagou por muitos países e sabemos que estamos no início de uma expansão muito rápida”, comentou o chefe de governo em comunicado.

Agência europeia autoriza vacina da Pfizer contra covid-19

De acordo com Netanyahu, “a entrada em massa do vírus em Israel precisa diminuir o máximo possível, enquanto na Inglaterra estão comprovando o que é exatamente este vírus, se é resistente à vacina e outras questões”.

“Pedi para que a gente repita o que fizemos na primeira onda do novo coronavírus: fechar os céus assim que possível”, afirmou. A expectativa é que o governo submeta a medida a votação ainda nesta segunda-feira.

No domingo passado, Israel começou a se blindar contra a nova vaciente de coronavírus identificada no Reino Unido e proibiu o acesso de estrangeiros procedentes do território britânico e de Dinamarca e África do Sul, onde a mutação também foi verificada. A medida tem pouco impacto, já que o país mantém vetada a entrada de turistas estrangeiros desde o início da pandemia.

You may have missed

3 min read
2 min read
4 min read
2 min read