Trump perde mais dois recursos para reverter eleição nos EUA

Sem apresentar provas de fraude, recursos a favor de Trump são derrubados

Sem apresentar provas de fraude, recursos a favor de Trump são derrubados

Tom Brenner / Reuters – 7.12.2020

Juízes norte-americanos rejeitaram nesta segunda-feira (7) ações apresentadas por um aliado do presidente dos EUA, Donald Trump, para cancelar a certificação das vitórias do presidente eleito Joe Biden em Michigan e na Geórgia. Os pedidos alegavam supostas irregularidades, sem provas.

Leia também: Trump arrecada R$ 1 bilhão para tentar reverter derrota eleitoral

O objetivo era forçar que Trump fosse declarado vencedor nesses Estados, em mais um esforço fracassado de tentar alterar o resultado da eleição do último dia 3 de novembro.

Ambos os processos foram movidos em 25 de novembro por Sidney Powell, um ex-advogado da campanha eleitoral de Trump, em nome de grupos de eleitores republicanos.

Batalha jurídica

Trump e seus aliados perderam vários casos com o objetivo de anular os resultados eleitorais em Estados em que o republicano venceu em 2016, mas foi derrotado nas eleições. Todos foram rejeitados por não conterem provas reais.

A juíza Linda Parker em Detroit e o juiz Timothy Batten em Atlanta determinaram que os demandantes não tinham legitimidade para abrir as processos e que os casos foram apresentados tarde demais.

“O povo falou”, escreveu Parker, referindo-se aos resultados da eleição.

Batten disse em uma audiência nesta segunda-feira que os demandantes buscavam “talvez o socorro mais extraordinário já buscado” em relação a uma eleição.

“Eles querem que este tribunal substitua o julgamento de dois milhões e meio de eleitores da Geórgia que votaram em Joe Biden, e isso eu não estou disposto a fazer”, afirmou Batten.

Powell não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Biden venceu em Michigan por cerca de 154.000 votos e na Geórgia por aproximadamente 12.000 votos, o que lhe garantiu 16 votos de cada Estado no Colégio Eleitoral.

Biden acumulou 306 votos contra 232 de Trump no Colégio Eleitoral que determina o vencedor de uma eleição presidencial. O Colégio Eleitoral se reúne em 14 de dezembro para formalizar a votação.

Trump, que tem alegado falsamente que ganhou a eleição, e seus aliados estão travando uma batalha jurídica sem sucesso para tentar anular os resultados da eleição. Os juízes também rejeitaram ações no Arizona, Pensilvânia, Nevada e Wisconsin.

“Este processo parece ser menos sobre alcançar o objetivo que os demandantes buscam –já que muito desse objetivo está além do poder deste tribunal– e mais sobre o impacto de suas alegações sobre a fé das pessoas no processo democrático e sua confiança em nosso governo”, acrescentou Parker.

Democratas e outros acusam Trump de tentar minar a confiança da população na integridade das eleições nos EUA e na democracia norte-americana. A maioria dos republicanos em pesquisas de opinião recentes disse acreditar que Trump ganhou a eleição e que ela foi roubada por meio de fraude eleitoral. Autoridades eleitorais estaduais têm afirmado que não há evidências de fraude.

You may have missed

8 min read
2 min read
5 min read
5 min read